Newsletters

Email:

Categoria:

Assinar Remover

Notícias
PDF
Imprimir
E-mail

23/12/2016
Governo apresenta reforma trabalhista como projeto de lei

Inicialmente, governo editaria MP; proposta é anunciada em solenidade
 

BRASÍLIA - O governo recuou nesta quinta-feira e decidiu que não fará a reforma trabalhista por meio de Medida Provisória. O presidente assinou nesta quinta-feira, em solenidade no Planalto, uma MP que institui o Programa de Seguro Emprego (PSE). As mudanças na legislação trabalhista serão encaminhas via projeto de lei ao Congresso.

O ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, disse que a proposta é a possível e que o "ótimo é inimigo do bom". Segundo ele, o essencial para empresas e trabalhadores constam do projeto.
 

— É um momento muito especial para o Brasil. Todos estamos unidos contra o desemprego — ressaltou o ministro, mencionando que as centrais estão pacificadas em torno da reforma.

O PSE terá validade por dois anos e não será definitivo, como foi cogitado inicialmente. Na prática, o governo está prorrogando, com outro nome, o Programa de Proteção ao Emprego (PPE), criado na gestão petista e que terminaria este ano. O novo formato será implementado numa medida provisória, assinada nesta quinta-feira pelo presidente Michel Temer.

O programa permite redução de jornada e de salário, com contrapartida da União. Na solenidade, Temer também assinou a MP que vai permitir a distribuição de parte do lucro do FGTS com os trabalhadores e, ainda, a MP que vai permitir o saque nas contas inativas do FGTS. O projeto de lei da reforma trabalhista terá pedido de urgência na tramitação no Congresso.

Para o presidente da União Geral dos Trabalhadores (UGC), Ricardo Patah, a decisão do governo de enviar um projeto de lei ao Congresso é prudente porque uma MP não seria o instrumento adequando para tratar do tema.

— Havia um compromisso do governo de só encaminhar essa questão a partir de 2017 — disse o sindicalista, afirmando que a central está disposta negociar a reforma trabalhista com o Congresso para gerar empregos e "cidadania".

Para o presidente da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, o ideal seria o governo não definir, no projeto que altera a CLT, os itens passíveis de negociação entre as partes porque as pessoas são "maduras". No texto, foram listados 12 itens, nos quais o combinado entre empresas e sindicatos de trabalhadores, em acordos e convenções coletivas, poderão prevalecer sobre a legislação trabalhista.

Ele, no entanto, admitiu que a proposta representa um avanço porque a lei atual é engessada. Ele menciono destacou que o projeto inova ao trazer para o debate questões modernas, como o trabalho remoto (fora da empresa), a divisão das férias em três períodos, com pagamento parcelado e a jornada, que poderá chegar a 12 horas diárias, no limite de 220 horas mensais, dentre outros.

— Estamos fechando o ano com chave de ouro — comemorou Skaf.

Já o secretário-geral da Força Sindical, João Carlos Gonçalves (Juruna), destacou no discurso a presença dos sindicalistas no local de empresa, com estabilidade no emprego. Segundo ele, é uma medida importante para permitir de fato a negociação coletiva e reduzir conflitos.

O presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Ives Gandra, elogiou a proposta de reforma trabalhista. Ele destacou o fortalecimento da negociação coletiva e o fato de o trabalhador não sair prejudicado no processo.

— Quando e lei é mais clara é mais fácil interpretar. Achei fantástico que, em nenhum momento, o patrimônio do trabalhador vai ser reduzido - Vossa Excelência marcou um golaço — disse o ministro, se referindo ao presidente Temer.

Fonte: http://oglobo.globo.com/economia/governo-apresenta-reforma-trabalhista-como-projeto-de-lei-20682478 







Mais Informações

2ª via da carteirinha

Solicitação de 2ª via da carteirinha de sindicalizado. É necessário levar 1 foto 3x4 recente na sede do Sindicato.

Formulário de Solicitação clique aqui!

Horário de Atendimento

Segunda a sexta-feira, das 9h às12h e das 14h às 18h.

Informações via email clique aqui!

Atualização de Dados

Para que você possa estar sempre informado e receber nossas notícias é necessário atualizar online os seus dados cadastrais sempre que houver alguma mudança.

Clique aqui para atualizar seus Dados!

Número de Visitantes

Prezado visitantes agradecemos seu acesso em nossa página! Seja bem-vindo(a) sempre que necessário.



Usuários online 889801 Total de Visitas